domingo, 27 de fevereiro de 2011

caixinha de saudades



Hoje pela primeira vez desde que terminamos, abrir  aquela caixinha onde guardo os nossos segredos, eu sempre tive a mania de guardar tudo sobre nos... fazia tempo que não a visitava por puro medo. Encontrei lá dentro resto de nós dois. Li e reli aquele cartão do dia dos namorados, a sua carta, aquela, sim aquela que falava de amor, um amor eterno e de um pedido seu, onde dizias, " por favor, nunca deixe de me amar E confesso que por alguns momentos eu incendiei por dentro. Depois
encontrei aquele cartãozinho que veio dentro da cesta de chocolate em que você mandou entregar aqui em casa na páscoa. E então depois que ví, o coração que ainda sobrevive aqui dentro, bateu insatisfeito. Remexi um pouco mais a minha caixinha, e achei uma rosa, da mesma que veio na cesta de páscoa, pois é, eu guardei uma, mas tava seca por causa do tempo acabou morrendo. Depois bem lá no fundo encontrei uma aliança perdida que andava comigo a todos os instantes, pensei então na outra. Onde ela estaria? Será que ela ainda existe? Achei em algum dos cantos um colarzinho preto e no meio um peixinho de madeira como pingente, era presente de sua mãe, mas você me deu para que eu nunca me esquecesse de você, e fui remexendo a caixinha e encontrei  um envelope verde claro e dentro um  bilhete pequeno  que dizia; ” quando um amor é verdadeiro pode ate existir obstáculos que separe as pessoas, mas essas pessoas se encontrarão um dia e viverão  o amor intensamente . Foi isso que aconteceu conosco. Te amo e quero ficar com você pra sempre”.  E mais embaixo um trecho de uma musica dizia; “ so enquanto eu respirar vou me lembrar de você”.E  voce falou que seria  nossa canção e eu a cantarolei baixinho por um breve minuto. Quando pensei que choraria lembrei do seu sorriso quando me encontrava, eu  amava! Revirei mais um pouco e cheia de desgosto achei então aquela e-mail, Poucas linhas e rápidas palavras, como se a nossa história tivesse sido tão transitória, que mais parecia uma oração que fizeste as pressas por nós, em um dos nossos péssimos momentos e não aguentei, chorei baixinho de tanta dor. Também achei uma de nossas conversas que falavam sobre o perdão que você  sempre me pedia quando errava comigo.  Fui remexendo mais um pouco e achei um CD com as nossas fotos, e decidi vê-lo no computador  e a primeira delas lembrava-me do dia em que fizemos pela primeira vez planos exuberantes sobre o nosso futuro, e depois fui vendo mais uma e mais outra, e  cada uma delas  me lembrava dos momentos em que passamos juntos, e passava as fotos de acordo com a nossa história... e aí depois lá no fundo dessa caixinha de tantas coisas, encontrei um papel escrito com a minha letra, era uma carta que eu tinha escrito antes de ir a tal viajem, praticamente terminando tudo,mas que nunca tive coragem de mandar. Com o coração super estraçalhado, ardi de dor, me enterrei em saudade, e depois fechei aquela caixinha, e partir de volta a minha realidade fingindo a todos que não vivo em um agonia desde que tudo terminou... Mas quer saber  na verdade?  o que eu queria mesmo era morar dentro daquela caixinha, junto com o meu coração que ja vive lá desde que não existe mais o nós, esse foi o único lugar que ele encontrou para continuar a pulsar.

3 comentários:

Andressa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carla Jackelyne disse...

Oi , achei muito lindo esse texto ..
realmente eu me emocionei com todas essas palavras .. Mas o bom é saber que todas essas tristezas passam ..

Era isso, Mais uma vez Parabéns pelo seu blog .. Um beijo :*


- Jackelyne

Lara disse...

brigada pelo carinho jack!
bjinhos...